COVID-19: 7 passos para mitigar a evasão do ensino superior
  • Carlos Eduardo Mello

COVID-19: 7 passos para mitigar a evasão do ensino superior

Atualizado: Jun 2


Foto: Jean-Christophe Bott/EPA via Shutterstock

Existe muita discussão sobre a forma correta de classificação desse assunto que é bastante delicado e impactante para o setor. “Evasão de alunos”, “retenção de alunos”, “gestão da permanência”, “algum outro”, qual seria o termo correto? Independentemente da forma ao qual nos referimos a esse tema, o objetivo principal é sempre o mesmo, ajudar os alunos a não pararem de estudar! Nesse artigo, damos continuidade a série de conteúdos que consideramos relevantes para nos adaptarmos as consequências provocadas pelo COVID-19 e dessa vez será o combate à evasão. Caso tenham interesse em acessar os conteúdos anteriores, os links estão a seguir:


COVID-19: A pressão por redução nas mensalidades


Fato COVID-19: A inadimplência no Ensino Superior está subindo! O que pode ser feito?


Quais serão os impactos do COVID-19 no próximo ciclo de captação de alunos?


O comportamento da taxa de evasão nos cursos presenciais da rede privada de instituições de ensino no Brasil apresenta uma estabilidade no patamar próximo a 30% desde 2013, conforme podemos observar no gráfico a seguir divulgado pelo SEMESP. Já os cursos da modalidade EAD apresentaram uma evolução para o mesmo indicador até 2016, com uma ligeira redução em 2017. De uma forma geral, ensino à distância apresenta uma taxa de evasão superior em 20-22% quando comparado ao presencial. Esse comportamento já é conhecido no setor e pode ser consequência de uma série de fatores: exigência de disciplina dos alunos para acompanhamento do conteúdo, baixa conexão entre o aluno e o curso, falta de apoio e interação com a instituição de ensino, dificuldade com a plataforma, dificuldade financeira, entre outros.


Gráfico 1: Taxa de Evasão – Cursos Presenciais – Brasil

Fonte: SEMESP| Mapa do Ensino Superior - 2019

Gráfico 2: Taxa de Evasão – Cursos EAD – Brasil

Fonte: SEMESP| Mapa do Ensino Superior - 2019

Impactos recentes no índice de evasão


Quando avaliamos os impactos da crise do COVID-19, de acordo com pesquisa realizada pelo SEMESP com 146 instituições de ensino ao longo do mês de abril, o impacto foi diferente para as modalidades EAD e presencial frente ao comportamento histórico. Se compararmos o índice de evasão do mês de abril de 2020 frente ao mesmo mês de 2019, a evasão geral apresentou um crescimento de 32,5%, puxado muito fortemente pela modalidade presencial com um aumento de 47%, enquanto a modalidade EAD obteve uma leve queda de 2,6%. O diretor executivo do SEMESP, Rodrigo Capelato, destacou que a maior parte dessas desistências vem de alunos que entraram ainda esse ano. Essa observação se mostra relevante e delicada, pois sabemos que a captação do verão representa 70% de todo o ano e adicionamos o fato de esperarmos uma redução significativa na originação de novos alunos no segundo semestre de 2020, principalmente no presencial. Desta forma, se faz ainda mais importante atribuir uma dedicação especial a gestão de permanência de alunos.


Se observarmos os números do mercado privado consolidado, independente da modalidade (EAD ou Presencial), a taxa de evasão oscilava há 4 (quatro) anos próximo a 31%, segundo estudo do SEMESP. Essa barreira provavelmente será ultrapassada agora em 2020, consequência dos impactos do COVID-19, mesmo em um cenário otimista. Vale destacar que essa análise consolida o mercado como um todo e julgamos extremamente importante avaliar os números da própria instituição (falaremos mais sobre isso a seguir), pois respeitará características regionais. Podemos observar no gráfico abaixo, três cenários de projeções onde recomendamos fortemente que cada IES estruture o seu: pessimista, realista e otimista. Essas projeções balizam os fluxos financeiros e auxiliam no acompanhamento de aderência de estratégias de atendimento. Caso a projeção de cenários seja algo difícil de ser construído, um parâmetro inicial pode ser o comparativo desse indicador realizado em abril e março desse ano, frente aos mesmos meses do ano anterior. Essa variação pode ser o cenário realista e derivar os demais cenários a partir dessa informação.


Gráfico 3: Taxa de Evasão no Ensino Superior Privado Brasileiro (%)

Fonte: SEMESP

7 (sete) passos para mitigar a evasão também em tempos de crise


Um momento delicado como o que estamos passando merece uma atenção e esforço redobrado, não é mesmo? A percepção que temos é que poucas semanas parece na verdade que se passaram alguns meses. A nossa intenção nesse artigo é compartilhar um pouco do que pensamos visando auxiliar as IES a encontrarem as melhores estratégias para mitigarem os impactos dessa crise. Infelizmente dizemos mitigar, pois não há como passarmos ilesos, mas algumas poucas ações podem ajudar a construir uma recuperação mais rápida. Com isso em mente, seguem as etapas que consideramos cruciais e caso tenhamos esquecido de alguma, será um prazer incluí-la. Críticas também são muito bem vindas.


1. Comitê multidisciplinar para combate à crise


Muitas IES já definiram um time de atuação com foco em atendimento crise, ainda mais pela circunstância emergencial que todos passaram em março devido necessidade de implantação do plano de continuidade do negócio emergencial. Caso a sua IES ainda não tenha uma equipe multidisciplinar, responsável por avaliar o cenário e planejar estratégias de execução, nós recomendamos fortemente que isso seja feito o quanto antes. Ressaltamos a importância do envolvimento de diversas áreas da instituição e se possível, alunos através de representantes de classe. Receber inputs e múltiplas visões, se faz essencial para construção de estratégias assertivas.


2. Mapeamento e acompanhamento dos dados


Começo essa etapa com uma afirmação delicada e provocadora: É impossível garantir que os planos de ação estejam caminhando na direção esperada, com resultados positivos, se a instituição de ensino não conhece os próprios números! Entender o comportamento do indicador de evasão e a sazonalidade histórica, é um passo inicial e crucial para auferir com precisão os resultados das ações que estão sendo adotadas. Assim como mencionamos em artigos anteriores, o máximo que a instituição conseguir retroagir no levantamento dos dados, melhor será, mas se for necessário restringir, 24 a 36 meses seria muito bom.


As dificuldades no levantamento de dados podem ocorrer, ainda mais potencializado pela situação que exige celeridade. Estamos aproveitando esse momento particular para oferecer de forma gratuita (freemium), o acesso ao PlatEAU da InovaMo, plataforma que organiza as informações da IES, permite comparação com seus concorrentes e auxilia na construção de projeções. Em alguns poucos dias, disponibilizamos o acesso para que a instituição de ensino possa navegar pela ferramenta com os dados a instituição populados. Entende que este seria um bom caminho para a sua IES? Deixe o seu cadastro nesse link e entraremos em contato com os próximos passos.


Solução PlatEAU – InovaMo

Fonte: PlatEAU - InovaMo

3. Comunicação individual e humanizada


Todos nós estamos com o sentimento exacerbado de insegurança. Não conseguimos prever o que ocorrerá na próxima semana. Muitas novidades estão surgindo a cada dia. Nos questionamos todos os dias, qual será o “novo normal”? Se nós estamos com essa sensação aflorada, não podemos imaginar algo diferente dos alunos. As trajetórias que pareciam encaminhadas na construção do conhecimento e carreira, ficam ameaçadas frente ao cenário mundial de desaceleração econômica e da fragilidade na saúde pública. A comunicação contínua e humanizada é fundamental, sendo mais importante nesse momento, pois reduzirá o distanciamento dos alunos e a instituição de ensino. Normalmente nos sentimos abandonados quando não obtemos a informação que precisamos e como consequência, podemos tomar decisões precipitadas.


É fato que existe uma dificuldade em se comunicar com todos os alunos devido ao volume, ainda mais com o time da instituição realizando atividades remotas e/ou com jornadas reduzidas. Esse é o momento em que vale pecar pelo excesso e utilizar todos os canais disponíveis para contato, WhatsApp, SMS, e-mail, Chat, Central de Atendimento etc. A ausência de informação será sempre o pior caminho.


4. Pesquisas contínuas com os alunos


Com a revolução industrial 4.0, a utilização da tecnologia passa a ser o ponto central nos meios de produção e serviços. Essa era digital exige geração e acompanhamento de dados (Big Data), capturando a percepção dos clientes em diversas interações com a marca durante a sua jornada. O termo frequentemente utilizado é CX (Customer Experience ou Experiência do Cliente) podendo ser traduzido em alguns indicadores como NPS (Net Promoter Score), por exemplo.


Se trouxemos para o cenário educacional, não seria diferente, ainda mais que os jovens estão muito acostumados a avaliar os serviços e plataforma que utilizam no cotidiano. As IES já realizam a autoavaliação institucional promovida pela CPA (Comissão Própria de Avaliação), com o objetivo de cumprir exigências regulatórias do MEC. Não discutimos a necessidade dessa avaliação, mas acreditamos que apenas ela, pode ser um insumo fraco para balizar o conjunto de estratégias que a instituição pode adotar.


Avaliações semestrais, inviabilizam correções rápidas de trajetória ao longo do semestre e dificilmente capturam percepções momentâneas. Receber feedbacks contínuos é a chave para a evolução na qualidade do atendimento, possibilitando reduzir as lacunas entre a expectativa do cliente a experiência real. Essa afirmação se torna ainda mais importante em cenários de crise como o que estamos passando. O que os seus alunos estão achando dos conteúdos e aulas remotas?


A InovaMo desenvolveu a solução Presença Digital que auxilia na captura da percepção dos alunos de uma forma rápida e contínua. Essa solução consiste em engajar os alunos nas aulas e atribuir maior autonomia, assertividade e celeridade no processo de registro de frequência. Como funciona? O professor disponibiliza o QR Code para os alunos, que por sua vez, através dos próprios celulares, realizam a leitura e registram a presença. Ao término de cada aula, os alunos recebem uma notificação em seus celulares, solicitando que respondam a uma rápida avaliação. Essa funcionalidade pode ser compulsória, ou seja, pré-requisito para leitura da próxima aula, mas deixamos a escolha dessa opção a cargo da IES. Se tiver interesse em conhecer mais sobre essa solução e testar gratuitamente, acesse esse link aqui.


Solução Presença Digital – InovaMo – Telas de Avaliação


Fonte: Presença Digital – InovaMo – Telas de Avaliação

5. Desenho de campanhas para ofertas aos alunos


Um fato aparenta ser unânime entre as instituições de ensino superior no Brasil, os alunos deixam para a última hora para se rematricularem. Esse cenário atual de crise está sendo ainda mais prejudicial para esse fato. Será que as evasões apuradas durante esse semestre, após março, representam de fato o impacto final do semestre? Provavelmente ainda não! Muitos alunos já decidiram trancar, mas estão deixando para sinalizar isso na rematrícula. Uma dica bastante importante para mitigar esse fato é desenhar as ofertas para cada cluster (grupo) de alunos e antecipar o contato com todos eles.


Há uma forte pressão sobre as IES, para que reduzam suas mensalidades, deem descontos, mas reforçamos que essa não é a única opção a ser ofertada e em hipótese alguma, deve ser aplicada de forma linear a todos os alunos. Qual aluno pode ser elegível a um financiamento estudantil? Quais são as possibilidades de renegociações dos atrasos (cartão de crédito, alongamento de prazo etc.)? Existe a possibilidade de acionamentos de seguros prestamistas para cobrir os atrasos? Quais alunos podem receber um desconto? Qual será o nível de desconto? Esses são alguns poucos exemplos de alternativas a serem desenhadas e consideradas para mitigar os efeitos de não rematrículas para o segundo semestre de 2020.


6. Estratégias preventivas


Peço desculpas aos leitores assíduos de nosso blog por acabar sendo repetitivo, mas essa é uma bandeira que defendemos fortemente na InovaMo, pois acreditamos no valor que ela agrega a operação. Identificar os eventos de forma antecipada, permite adotar estratégias assertivas antes dos eventos ocorrerem e consequentemente, melhora os indicadores. Alguns podem dizer que predição nesse momento de Black Swan (Cisne Negro), devido ao COVID-19, não apresenta resultados positivos. Nós defendemos justamente o contrário. Estratégias com classificações preditivas, são ainda mais benéficas em situações como essa. Grupos de alto risco de evasão em semestre regulares, por exemplo, são ainda mais arriscados em momentos de crise.


Dependendo do tamanho da IES e time de atendimento, pode ser muito difícil entrar em contato com todo os alunos, mas defendemos seu valor. Ouvir os clientes, trará insumos estatísticos para que a instituição antecipe cenários e adote estratégias. Entrar em contato com os clientes sem uma priorização pré-definida, pode não ser efetiva quando não se tem capacity para percorrer todos os alunos em um espaço curto de tempo. Dedicar atendimento aos grupos de alunos mais delicados e propensos a evasão, pode ser uma saída favorável. A questão que fica é, quem são esses alunos? A InovaMo pode ajudar as IES a identificarem esses grupos de clientes. Deixo minha agenda aqui, caso queira agendar um horário para falarmos sobre o assunto.


7. Plano de retorno das atividades


Por estarmos em um momento bastante conturbado, é fácil atribuirmos maior atenção em resolver problemas imediatos, mas precisamos olhar para frente e planejar momentos futuros, um deles é a retomada das aulas presenciais. O Brasil tem a “vantagem” (se é que podemos dizer isso em uma situação delicada como essa) de estar em uma fase de contágio posterior a outros países do oriente. Aproveitamos a experiência de países como China, Coreia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Inglaterra, Israel, e Portugal para entender quais cuidados estão sendo adotados para volta as aulas. Entre as medidas, estão:

  • multiplicação das atividades de limpeza e higiene de todas as instalações, com contratação de maior número de funcionários, uso massivo de desinfetantes e outras substâncias antissépticas, e disponibilização de equipamentos de proteção individuais

  • tendas de desinfecção dos alunos na entrada

  • controle de temperatura

  • uso de máscaras

  • lavagem de mãos ao entrar e sair da instituição

  • instalação de torneiras por diversos ambientes

  • dispensadores com álcool gel 70% em todas as salas;

  • grupos menores de alunos

  • distanciamento

  • horários diferentes de entrada e saída

  • arejar a sala

  • afastar professores do grupo de risco

  • reconfiguração das áreas de convivência para permitir o distanciamento social e minimizar o risco de contágio

  • criação de fluxos unidirecionais, usando sinalização visual para impedir que os alunos se aglomerem

  • oferta de copos descartáveis nos bebedouros, ou sua desativação

#covid #covid19 #coronavirus #ensinosuperior #evasaodealunos #gestaodapermanencia #retencaodealunos

InovaMo, pioneira em levar analytics para o setor de Educação, especialmente para o Ensino Superior. Vencedora do prêmio Digital Transformation Lab (DTL)/Hackathon promovido pela Microsoft ao Grupo Ânima e uma das finalistas para o Demo Day da WeWork Labs. Primeira e única parceira sobre Big Data da maior organização das Instituições de Ensino Superior do Brasil. Especialista em levantar insights, fazer previsões e empoderar os clientes com suas aplicações tecnológicas. Seus dados estão dizendo algo sobre você. A gente te ajuda! Clique aqui para receber novas comunicações da InovaMo.


Acesse aqui entenda melhor sobre os produtos da InovaMo.


Inteligência Artificial: algoritmos capazes de prever eventos antes de ocorrerem para Evasão, Captação e Inadimplência. Desta forma, torna-se possível adotar estratégias preventivas e melhorar os indicadores.


Presença Digital: Solução em que o processo de chamada é simplificado, pois os alunos registram a frequência através dos próprios celulares. Esta é uma excelente ferramenta de fidelização, pois trabalha o engajamento dos alunos para as aulas presenciais, bem como gerador de dados comportamentais e facilitador do processo de registro de presença, etc.

0 visualização

© 2020 INOVAMO - Construindo decisões inovadoras