• Carlos Eduardo Mello

COVID-19: A pressão por redução nas mensalidades

Atualizado: Mai 19


Foto: Entreprise Press

A mensalidade é sempre um ponto bastante delicado e que gera muita discussão. Quando observamos seu comportamento no tempo, identificamos dois movimentos distintos, um para o curso presencial e outro para o EAD. Se trouxermos essas duas modalidades para análise, a diferença para ser sempre muito evidente. Sabe-se desde os primórdios que a mensalidade do curso a distância, é sempre menor que o presencial. Mas não é esse ponto que gostaria de destacar e sim a variação dos valores ao longo do tempo.


A Hoper Educação desenvolve há algum tempo uma pesquisa bastante interessante. Se observarmos no gráfico abaixo, as medianas das mensalidades dos cursos de EAD sofrem um redução constante no tempo, desde o início da apuração no ano de 2012. Esse comportamentamento não é o mesmo apresentado pelo curso presencial. Se relativizarmos, as mensalidades do EAD partem de 49% do valor das mensalidades dos cursos presenciais em 2012, para 33,9% em 2020. Essa redução constante é consequência de uma série de fatores, aumento da quantidade de IES com essa modalidade, elasticidade preço da demanda, flexibilização da abertura de cursos e mais recentemente de polos em 2019, entre outros, mas uma pergunta que fica é: Qual é o preço que deve ser cobrado nos cursos EAD? A resposta para essa pergunta é bastante delicada, ainda mais em um período como o que estamos vivendo. Em tempos normais, diria que análise de mercado e elasticidade preço demanda com testes A/B e medições contínuas seriam bons palpites para estratégias de precificação.


Gráfico: Histórico da pesquisa Hoper sobre valores das mensalidades na Educação Superior Brasil – Presencial e EAD – 2005-2020


Fonte: Estudos de Mercado Hoper Educação

Já na modalidade de cursos presenciais, o comportamento das medianas da mensalidade é bem diferente. Vale destacar, segundo nota da Hoper, o preço está corrigido pelo IPCA do período, ou seja, para esses valores não há variação consequência da inflação. Entre os períodos de 2010 e 2015, podemos observar um crescimento elevado de 21,8% nos valores das mensalidades, muito provavelmente, puxados pelo fomento do governo através do financiamento estudantil público, o FIES. Em 2015, ano de reeleição da Dilma, o MEC decidiu restringir as novas adesões ao programa de financiamento (Quer entender melhor? Nesse link publicamos um artigo sobre o assunto), gerando um impacto direto na demanda dessa modalidade e consequentemente nos valores das mensalidades - redução de 9,1% nesse período.


Cabe atenção a maior variação do gráfico, redução de 11,8%, nas medianas das mensalidades das IES em 2020 frente a 2019. Se descontarmos a inflação, essa queda é de 7,3%, significativamente maior frente as variações anteriores. Segundo a Hoper, a pesquisa foi realizada até fevereiro de 2020 e não contempla os impactos do COVID-19. Isto significa dizer que a redução das mensalidades é consequência da disputa no mercado educacional por demanda, adicionado os efeitos da portaria do MEC nº 1.428 que permite que as IES ampliem para 40% a oferta de disciplinas EAD para cursos presenciais. Desta forma, abriu-se espaço para ajuste de margem e redução de mensalidades.


Ainda fica uma pergunta, e agora no cenário de crise como a que estamos passando devido ao COVID-19, qual será o novo patamar de mensalidades?


Sem sombra de dúvidas ainda é muito cedo para responder a essa pergunta, mas é um momento de reformulação. A pressão por redução nas mensalidades é algo que está em voga nesse momento. Todas as famílias estão revisando seus orçamentos e não tem sido diferente para educação. Um cenário já presenciado pelas instituições de ensino, o pedido massivo por descontos pelos alunos, aliado ao trabalho remoto, têm impulsionado a uma reformulação nos atendimentos. Qualquer decisão linear pode ser bastante prejudicial, elevando a importância do atendimento unitário e humanizado. Em paralelo, a coleta de dados e análise do mercado se fazem bastante importante para desenho de estratégias futuras.


Impactos dos Órgãos de Proteção ao Consumidor, nas Mensalidades


Trago aqui o conteúdo do Procon de São Paulo, com recomendações para instituições de ensino do estado, mas ressalvo a importância da avaliação as notas emitidas por cada órgão responsável de seu estado. Isso ajudará no desenho de atendimentos que estejam em conformidade mitigando complicações futuras.


Após receberem mais de duas mil reclamações de pais solicitando redução das mensalidades de escolas privadas, a Secretaria Extraordinária de Defesa ao Consumidor (Procon-SP), no dia 07/05, divulgou uma nota técnica onde a instituições de ensino básico, fundamental e médio deverão oferecer alternativas para o pagamento das mensalidades. Caso as escolas particulares do estado de São Paulo não sigam as recomendações, o Procon-SP poderá instaurar um procedimento administrativo.


Não foi diferente para as instituições de ensino superior, no dia 12/05, o Procon-SP divulgou uma nota técnica para setor. Nesse link, você poderá acessar o comunicado na íntegra, mas abaixo seguem os principais pontos descritos nesse documento:


1. As instituições precisarão disponibilizar no mínimo um canal de atendimento ao aluno.


2. Os atendimentos precisam ser céleres, devendo as IES negociarem alternativas de pagamento das mensalidades, inclusive para alunos inadimplentes.


3. As IES deverão atender aos padrões de qualidades definidos pelo MEC nas aulas realizadas por meios tecnológicos à distância.


4. Os pedidos de agendamento de reunião pelos alunos, não poderão ser negados pelas instituições de ensino e precisarão cumprir ao prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos para informar uma data.


5. A instituição não poderá solicitar documentos como pré-condição para o agendamento.


6. O descumprimento do prazo de 15 (quinze) dias corridos será caracterizado como prática abusiva.


7. Durante a negociação, as partes poderão exigir somente documentos necessários para a comprovação da falta de condição para pagamento.


8. Imprescindível boa-fé bilateral e transparência durante a negociação.


9. O não agendamento da reunião ou inexistência de acordo sem justificativa por parte da IES, poderá acarretar um procedimento administrativo instaurado pelo Procon-SP.


10. Manter atualização cadastral da IES junto ao órgão de proteção ao consumidor.


Conclusões


  • As mensalidades, independente da modalidade (EAD ou Presencial), estão sofrendo uma redução ao longo do tempo.


  • Os cursos EAD apresentam uma redução constante desde a apuração da pesquisa em 2012, representando a ausência de estabilidade no preço para atendimento da demanda, impulsionado pela concorrência.


  • Para os cursos Presenciais, a partir de 2015, após a redução das ofertas do FIES, as mensalidades sofreram uma redução constante. Vale um destaque para o ano de 2020, reflexo da portaria do MEC nº 1.428 que permite 40% das disciplinas por ensino à distância para curso presenciais.


  • A pesquisa não contempla os impactos financeiros do COVID-19, portanto cabe uma atenção especial a avaliação dos dados de atendimento por parte da IES que estão sendo realizado a alunos que estão solicitando uma redução.


  • Órgãos de proteção ao consumidor estão recebendo diversas reclamações de alunos e estão emitindo notas de recomendação. Cabe uma atenção especial a pesquisa dos órgãos do estado da IES, para seguir as recomendações e mitigar consequências futuras.


  • Reforçamos a necessidade de atendimento unitário e humanizado, mas sabemos que os volumes são excessivos frente ao capacity de atendimento da IES. Nós na InovaMo podemos auxiliar na priorização frente a lista de clientes.


  • Atendimentos preventivos, podem ser a chave de sucesso para mitigar surpresas no momento da renovação dos alunos. Contem conosco, caso entendam que este seja uma necessidade. Nesse link, disponibilizo minha agenda para marcarmos uma conversa.


#mensalidades #reducaomensalidades #covid #covid19 #ensinosuperior #educacao


Fontes:

Hoper Educação - ESTRATÉGIAS PARA CAPTAÇÃO DE ALUNOS NO CENÁRIO ATUAL


PORTARIA Nº 1.428, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018


NOTA TÉCNICA - SECRETARIA DE DEFESA DO CONSUMIDOR E PROCON/SP - MENSALIDADES DO ENSINO SUPERIOR


InovaMo, pioneira em levar analytics para o setor de Educação, especialmente para o Ensino Superior. Vencedora do prêmio Digital Transformation Lab (DTL)/Hackathon promovido pela Microsoft ao Grupo Ânima e uma das finalistas para o Demo Day da WeWork Labs. Primeira e única parceira sobre Big Data da maior organização das Instituições de Ensino Superior do Brasil. Especialista em levantar insights, fazer previsões e empoderar os clientes com suas aplicações tecnológicas. Seus dados estão dizendo algo sobre você. A gente te ajuda! Clique aqui para receber novas comunicações da InovaMo.


Acesse aqui entenda melhor sobre os produtos da InovaMo.


Inteligência Artificial: algoritmos capazes de prever eventos antes de ocorrerem para Evasão, Captação e Inadimplência. Desta forma, torna-se possível adotar estratégias preventivas e melhorar os indicadores.


Presença Digital: Solução em que o processo de chamada é simplificado, pois os alunos registram a frequência através dos próprios celulares. Esta é uma excelente ferramenta de fidelização, pois trabalha o engajamento dos alunos para as aulas presenciais, bem como gerador de dados comportamentais e facilitador do processo de registro de presença, etc.

231 visualizações

© 2020 INOVAMO - Construindo decisões inovadoras