© 2017-2019 INOVAMO - Construindo decisões inovadoras

Qual é o melhor livro sobre empreendedorismo na sua opinião?

June 11, 2018

Há alguns anos atrás eu li um livro que representou muito o que eu já vivenciava sendo empregado e sócio, e o que eu desejava fazer em um futuro próximo, empreender. Em busca de literaturas que pudessem embasar melhor os desafios que um empreendedor enfrenta na prática, encontrei o livro “The Hard Thing About Hard Things” com tradução para o português “O Lado Difícil das Situações Difíceis” do autor Ben Horowitz. Na minha humilde opinião, este foi o melhor livro sobre o assunto que já li até o momento, mas não sei ainda por quanto tempo permanecerá nesse posto, pois tenho visto muita coisa boa.

 

Ben Horowitz é cofundador da Andreesen Horowitz, empresa de Venture Capital, mas nesse livro ele discorre sobre as situações difíceis durante a sua jornada como empreendedor e CEO da Opsware. Apesar da sua história ter um final feliz com a Opsware sendo foi vendida por US$ 1,6 bilhões para a Hewlett-Packard em 2007, diferentemente dos demais livros, ele retrata todos os difíceis momentos em que passou no comando dessa companhia. Utilizando suas passagens, o autor descreve situações em que precisou tomar decisões entre uma solução ruim e outra pior ainda. Isto está retratado no próprio subtítulo – “Building a Business When There Are No Easy Answers”.

 

Escolhi esse livro para a publicação desse artigo, pois além de retratar as dificuldades pelas quais passou e as conclusões sobre suas decisões, dá dicas valiosíssimas que merecem ser compartilhadas. Quando li pela primeira vez, apesar das situações desesperadoras e aparentemente sem solução, ele me estimulou a tomar a decisão na direção do empreendedorismo.

 

Muitos simpatizantes ao empreendedorismo podem aguardar a fórmula correta ou o treinamento específico para isso antes de tomar a decisão, mas como Horowitz diz, isso não vai existir. Não há CEOs que nasçam nessa posição ou já preparados para assumi-las, somente o trabalho duro e a perseverança vão possibilitar aproximar do sucesso. Horowitz gosta bastante de utilizar o termo “War-time CEO” para descrever a transformação necessária para que se consiga liderar e construir uma empresa. Não há como um CEO não passar por momentos muito difíceis, mas é importante aprender com eles. É comum se recomendar leituras de gestão em momentos de calmaria, mas na prática, isso raramente ocorrerá e o aprendizado virá das situações difíceis. Isso é o que torna esse livro brilhante e destaco algumas recomendações do autor para reflexão.

 

- Estatística versus cálculo: Durante o processo de construção de uma companhia deve-se acreditar que há respostas/caminhos para tudo e atribuir nenhuma atenção nas chances do sucesso. Estatísticas podem ser prejudiciais nesse caminho e de acordo com Horowitz, utilizar cálculo para construção da sua ideia e buscar a melhor solução todo dia sempre será o melhor a se fazer.

 

- Contratação de time: Horowitz destaca a importância na contratação de um time baseado nas forças e capacidades, ao invés de bloquear e destacar as fraquezas. A contratação baseada na necessidade atual se faz extremamente necessário e não se deve postergar demissões quando algum funcionário não mais se enquadra com os desafios da companhia. Sempre é necessário avaliar e acompanhar de perto essa adequação e desenvolvimento.

 

- Contratação de profissionais habituados a trabalhar em time: Apesar de parecer um pouco óbvio, Horowitz destaca que durante um processo de contratação, se torna fácil identificar o profissional que fala bastante sobre suas conquistas pessoais e pouco sobre as conquistas realizadas em time. Recomenda-se fortemente a rejeição deste tipo de profissional, pois quanto mais cérebros estiverem direcionados em soluções de problemas trabalho em conjunto, melhor será para a companhia.

 

- Treinamento: Particularmente eu gosto bastante desse assunto e o autor destaca a enorme importância em se treinar o time. Horowitz destaca que o aumento da produtividade sempre supera o custo sobre as horas alocadas para treinamentos. Estes devem ser realizados pelos gestores da companhia, inclusive pela alta direção, pois assim se garante uma companhia em crescimento alinhado aos desafios.

 

- Positividade: Alguns dos erros que Horowitz enfrentou no início de sua jornada como CEO foi de transparecer que as coisas estavam sempre indo muito bem. Na prática, quando as coisas começam a ir não tão bem, torna-se difícil manter o engajamento do seu time. A recomendação do autor é sempre agir com transparência e mostrar ao time o quão ruim as coisas estão. Como consequência, alguns colaboradores pedirão demissão, mas os que continuarão buscarão a melhor solução para a companhia com credibilidade.

 

- Perguntar-se “O que nós não estamos fazendo”: É muito comum encontrarmos em reuniões de equipe, revisão das tarefas que estão sendo executadas, mas em muitos momentos as coisas que não estão sendo feitas, são as que se deveriam ter mais foco. Por isso, pergunte-se sempre “O que eu não estou fazendo?” e gaste tempo achando respostas para isso.

 

- “Mantenha a morte sempre em mente!”: De acordo com Horowitz, quando um guerreiro se mantém alerta sobre a morte em todos os momentos e vive cada dia como se fosse o último, se torna possível tomar as ações mais apropriadas em busca do sucesso. O paralelo é realizado também aos CEOs, pois se estes mantiverem esta mensagem em suas mentes, manterão o foco na contratação mais assertiva, treinamento e construção de cultura.

 

Esse é um breve resumo dos pontos que gostaria de destacar deste livro. Espero não ter dado spoillers e sim estimulado o interesse na leitura. Há alguns meses sou cofundador de uma empresa, a InovaMo, e mesmo guardada as devidas proporções, este livro sempre me vem a mente quando precisamos tomar decisões mesmo parecendo não existir caminhos que nos levarão ao sucesso. Os aprendizados apresentados por Horowitz servem para todos os níveis, mas na minha opinião é uma leitura obrigatória para empreendedores ou mesmo aos aspirantes.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Você sabe quantos alunos prestam o Enem, mas não se matriculam em nenhuma Universidade?

November 15, 2019

1/7
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo